Correios estuda projeto para facilitar entrega de compras internacionais

Uma das maiores reclamações de quem compra em sites internacionais está relacionado a demora para o desembaraço e entrega no Brasil e os Correios parece está estudando projeto com o objetivo de facilitar entrega de compras em sites estrangeiros.



Entregas de compras internacionais mais rápidas! Esse é o sonho de todo brasileiro que costuma importar produtos pela internet!

E parece que os Correios está novamente tentando buscar uma solução para realizar as entregas de compras feitas fora do Brasil de forma mais ágil e com menos burocracia.

E segundo publicação da colunista Monica Bergamo na Folha de São Paulo, os Correios está estudando projetos que tem como objetivo diminuir esse tempo de entrega, afinal o produto muitas vezes chega em poucos dias no Brasil e fica parado internamente por muito tempo até sair para entrega ao comprador.

E um dos modelos que está sendo analisado pelos Correios é a criação de escritórios no aeroportos internacionais, nos modelos que já existem em outro países como nos Estados Unidos, no qual o escritório é responsável pelo recebimento, processamento de tributos e pagamentos.

Sendo que na sequencia o produto importado seguiria para entrega diretamente ao endereço do comprador no Brasil, sem a necessidade da compra passar pela alfândega e desta forma agilizando o processo.

Agora vem a pergunta: Será que algo realmente será feito? E se for, será que vai realmente agilizar o processo ou dificultar as coisas ainda mais?

Afinal a última modificação que tinha como objetivo melhorar o processo de quem compra fora do Brasil foi o ambiente minhas importações, no entanto até o momento o processo continua lento e demorado, sem contar as falhas e bugs que são frequentes na ferramenta.

E você o que acha do assunto? Mande seus comentários abaixo e participe!

Um comentário em “Correios estuda projeto para facilitar entrega de compras internacionais

  • 3 de Abril de 2018 a 09:13
    Permalink

    O sistema vai entrar em testes em 2025, o prazo de 5 meses que temos hoje vai pra 10/12 meses.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *